SEXUALIDADE HIPER-ESTIMULADA OU MAL ELUCIDADA?

Quando valorizamos mais o que vemos do que aquilo que sentimos, começamos nos distanciar da nossa essência e dos valores que norteiam nossa vida.
Estamos conectados ao mundo todo, com todas as pessoas, interligados por uma tela, um fio; tendo acesso a todo e qualquer tipo de conhecimento e informação.
Porque será então que a maioria das pessoas, desde os adolescentes, jovens e a melhor idade; estão achando tudo muito sem sentido, a vida fugaz e meio sem rumo?!
Acredito que nosso distanciamento enquanto pessoa ¨individual¨, das pessoas que convivemos dentro de casa , no nosso ambiente de trabalho, convívio social, deixamos passar o que tínhamos de mais valioso e significativo para nosso engrandecimento enquanto seres humanos que pensam e SENTEM.
Hoje quando escuto as meninas dizendo que ficaram com três garotos na mesma noite e que não é só dar beijo e sim transar sem proteção alguma e o que é mais triste e trágico, SEM SENTIR NADA. Mas a moda é assim hoje, as pessoas se cruzam, rola um clima ou a pele deu ¨liga¨, se atracam sem conseqüência, sem medo, sem COMPROMISSO. Mas será que isso é evolução da humanidade ou progresso da cultura social???
Não creio.
O que nossos jovens assistem na TV desde as 18 horas são programas que falam de sexo, insinuam sexo, fazem gritos e gemidos de sexo… No entanto , não passam nenhum conteúdo que está antes de ocorrer o sexo.
Como ou o que leva as pessoas a chegarem à conclusão de querem estarem juntas sexualmente?? Será que é essa banalização que estão fazendo a gente acreditar que seja?? Olhou, é bonito, está arrumadinho, cheira bem, dá pra encarar??!!!!
Mas hoje é assim, todos se comportam assim, a liberdade sexual já é quase bisavó de tão falada e expressada. As pessoas são livres para fazerem suas escolhas com quem quiser e na hora que desejar… Sim. Mas também estão se colocando no claustro da solidão existencial. Quando valorizamos o que vem de fora é quase sempre assim que fica. É bom por um tempo, mas para o tempo todo é efêmero e não nos traz satisfação pessoal, emocional, e nem acrescenta nada na nossa forma de viver em sociedade.
Sou contra as mulheres terem livre arbítrio para escolherem seus parceiros, quantos ou como?? De forma alguma. Mas a maneira que isto está sendo feito deve ser reavaliada. Os homens-meninos estão sentindo-se mais machos por poderem ¨pegar¨quantas meninas quiserem ou estiverem a fim???
Também não. Estamos numa fase de pessoas trancafiadas no seu mundo particular, como medo de se relacionar de verdade. NÃO ESTOU FALANDO DE SEXO E SIM DE RELACIONAMENTO. São coisas muito diferentes.
Enquanto o relacionamento agrega valores, nos torna pessoas melhores, pois temos que aprender quem somos, quem é o outro, como nos relacionamos conosco e com o outro, além de sabermos como cuidar desse relacionamento; o sexo por sua vez é pratico, rápido, mais ou menos eficaz( depende do prazer ou satisfação que cada um teve no momento), na maioria das vezes sem vinculo algum e muito menos compromissos ,imagine então troca de experiências, vivencias pessoais ?
Então cabe a cada um de nós avaliarmos o que nos é viável e o que queremos para nossa vida. Lembrando sempre que não tenho que provar nada pra ninguém, não tenho que ser perfeito para agradar todo mundo, mas tenho que preservar minha integridade física e emocional para conseguir sobreviver perante as dificuldades diárias que se apresentam normalmente. E se eu não estiver bem resolvido com minha sexualidade( leia-se: bem estar, prazer em estar e ser como sou, prazer nas coisas que faço no dia-a-dia, ter prazer em acordar em cada amanhecer e ter o coração cheio de esperança no que a vida me reserva…); portanto a sexualidade é muito mais que o encontro de dois órgãos genital…É UM ENCONTRO DE GENTE QUE PRECISA DE GENTE.
Vamos nos questionar mais ao que nos basta enquanto pessoas plenas num todo, emocional, físico e espiritual para não nos sentirmos capengas para o resto de nossas vidas.
Lembrando que a vida tem a cor e o sabor que nós escolhemos e não ao que os outros nos determinam.
Não é a toa que nosso maior órgão sexual é a nossa pele: ELA NOS DEIXA EM CONTATO CONOSCO MESMO, COM OS OUTROS E COM O MUNDO.
Exerçamos mais nossa sexualidade do que o sexo, com certeza teremos pessoas mais felizes, serenas e realizadas.

Dra Marcia Rebellato

Dra. Marcia Rebellato

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *